YES notícias
Setembro mostra queda, apesar do crescente no ano
Márcio C. Medeiros
17/10/2016 - 17h05
Arquivo: Guto 171016
José Augusto Gomes, superintendente da Acim, faz alerta quanto aos títulos protestados no comércio

O superintendente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, José Augusto Gomes, analisou os mais recentes dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), apresentados pela Boa Vista Serviços, que mostram os títulos protestados acumulando alta de 24,2% no ano, com valor médio dos títulos protestados de R$ 4.427,00 em setembro, o que é considerado elevado pelo dirigente mariliense. “O número total de títulos protestados no país aumentou no acumulado de 2016 até setembro em relação ao mesmo período do ano anterior”, disse o diretor mariliense, ao acrescentar que na comparação interanual, os títulos protestados caíram 5,6%, e em relação ao mês anterior que foi de 40%.

Para José Augusto Gomes quando analisados apenas os títulos protestados das empresas, no acumulado do ano, o crescimento foi de 6,5%. Na variação interanual houve queda de 15% e na comparação mensal a diminuição foi de 39,8%. A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (63,4%), seguida das regiões Sul (20,1%), Centro-Oeste (6,8%), Nordeste (5,9%) e Norte (3,8%). No acumulado do ano, a região Sudeste foi a que obteve o maior crescimento, de 15,5%. A região Nordeste, por sua vez, foi a que registrou maior queda (-4,8%). “Esse número são monitorados mensalmente”, disse o dirigente que considera importante acompanhar a performance do consumidor e dos comerciantes. “O protesto é um recurso do lojista contra o devedor, de último caso”, apontou.

O maior valor médio dos títulos protestados em setembro foi na região Centro-Oeste (R$8.312,00), diante de uma média nacional para pessoa jurídica de R$ 6.297,00. “Valores muito grande que normalmente causam problemas na gestão de qual1quer empresa”, acentuou José Augusto Gomes, ao fazer o alerta e sugerir maior atenção aos comerciantes para que cuide da inadimplência da empresa. “A dívida é um problema grave em qualquer empresa, e que dependente do porte da loja pode até ser ameaçada a fechar”, comentou ao ter conhecimento de que muitas lojas da cidade estão com este tipo de problema. “Com um capital de giro pequeno, e com uma dívida razoável, o empresário não tem muito o que fazer, senão parar”, disse o superintendente da associação comercial local.

Essa análise dos indicadores de títulos protestados da Boa Vista SCPC mostra a evolução da quantidade de registros de débitos decorrentes de protestos de títulos, informados por cartórios de protestos no referido mês. A série histórica deste indicador inicia em 2006 e está disponível através do endereço eletrônico, na internet: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/titulos-protestados/. “O lojista precisa ter atenção a esses dados e evitar a inadimplência, utilizando os recursos existentes no SCPC que ajudam na decisão de um crediário”, comentou o diretor da ACI de Marília ao propor ao comerciante que consulte a ficha cadastral do cliente antes de oferecer o crédito.